Respeitar rima com curtir na nossa marchinha de carnaval


O carnaval está prestes a começar, mas antes de desfilarmos na avenida, o Jornal de Paulínia traz a sua colaboração para que, neste ano, os paulinenses só tenham histórias boas para contar na quarta-feira de cinzas.

Em 2017, a Central de Atendimento à Mulher registrou um aumento de 90% de denúncias sobre violência contra a mulher nos quatro dias de carnaval, e esse aumento é fruto de campanhas de conscientização como essa, já que muitas mulheres ainda tem receio de denunciar a violência que sofrem de parceiros, familiares, etc.

A violência, o assédio, e o desrespeito não podem ser romantizados e renomeados de “paquera” no carnaval. Nesta semana de folia parece que tudo fica válido e esse argumento é usado para justificar denúncias de mulheres. Depois do “não” dela, tudo é assédio, pois o limite entre a paquera e uma denúncia é o respeito.

Além dos casos de violência contra as mulheres, acidentes de trânsito devido ao excesso de álcool ingerido crescem nesta época.

Dados da Polícia Rodoviária Federal apontam que, em 2017, foram flagrados 2019 condutores embriagados durante o feriado de Carnaval. Ainda segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, em 2016, foram registradas 1.696 ocorrências de trânsito neste período. No ano anterior, foram 1791, uma queda de 5,3%.

Informações como esta assustam os foliões, mas não inibem de beber e se divertir. Para uma festa mais consciente o recomendado é que dirija depois de 8 a 12 horas após o consumo, ou voltem para casa de táxis, ônibus e caronas.

O Capitão da Polícia Militar Rafael Cambuí ressalta que “mesmo estando em um período de festas não podemos beber e dirigir, e não podemos depredar o patrimônio público e privado”. E orienta os foliões que não é necessário levar todos os documentos e cartão bancários nos blocos de rua, para que não haja transtornos em caso de perca ou roubo, além de não aceitar qualquer tipo de provocação daqueles que já estiverem alcoolizados.

Infelizmente o preconceito, a homofobia, o racismo e misandria são males que transcorrem os dias de carnaval.

E para que todos nós possamos nos divertir na rua, nos bloquinhos, nos bares ou em casa, o Jornal de Paulínia disponibiliza números de telefones essenciais para sua lista de contatos:

Ligue 181 para o Disk Denúncias sobre qualquer tipo de violência e preconceito.

Ligue 153 ou 190 para contatar a PM e a Guarda Municipal.

O Capitão garantiu que ambos estarão preparados para dar os atendimentos e que teremos reforço no policiamento nesta época.