Hospital Municipal de Paulínia suspende cirurgias por falta de materiais

O prefeito Dixon publicou vídeos nas redes sociais, afirmando que a realidade do hospital da cidade já é outra bem melhor

(Divulgação): O Hospital Municipal de Paulínia (HMP) já suspendeu pelo menos dez cirurgias ortopédicas.

As cirurgias ortopédicas estão canceladas no Hospital Municipal de Paulínia (HMP), devido à falta de materiais como próteses, pinos e placas metálicas. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde, que relatou que os procedimentos estão suspensos há dez dias. Já o Conselho de Saúde diz que estão paralisadas desde o início do ano.

"Um pregão foi realizado, porém não houve registro de empresas interessadas no fornecimento (...). A prefeitura trabalha para normalizar os serviços o mais breve possível", apontou o Executivo. "Nessa virada de mandato e com mudanças no secretariado, foram canceladas todas as licitações. Tudo o que estava pendente para comprar para fazer cirurgias não realizou. Placas metálicas, parafusos, próteses ortopédicas, tudo", afirmou Paulo Roberto Paes, presidente do conselho.

Outro ponto que provocou a paralisação dos procedimentos, segundo a entidade municipal, foi a reforma do centro cirúrgico do HM. "O Centro (Cirúrgico) estava todo em reforma, e algumas salas estão sendo restabelecidas só agora", completou o presidente.

Recentemente, o prefeito Dixon Carvalho (PP) publicou vídeos nas redes sociais, afirmando que a realidade do hospital da cidade já é outra bem melhor e que as dívidas com fornecedores da área de saúde já haviam sido quitadas. No entanto, a falta de remédios, o cancelamento de várias cirurgias, aparelhos de exames quebrados como o tomógrafo, continuam no topo das reclamações dos usuários da rede municipal.

A prefeitura negou que tenha cancelado processos de licitação ou pedidos de compra. No entanto, não foi dado prazo para a retomada das cirurgias ortopédicas ou mesmo para a chegada dos novos materiais.

Fonte TodoDia/Correio Paulinense


© 2020 Jornal de Paulínia