Instituto do Hospital do Câncer de Barretos é inaugurado

Unidade foi construída com recursos do caso Basf/Shell, destinados como compensação à contaminação em Paulínia

O Instituto de Prevenção de Campinas do Hospital do Câncer de Barretos, que passa agora a se chamar Hospital de Amor, começa a funcionar para o atendimento dentro de 30 dias com a promessa de diminuir filas de atendimento para casos de suspeita de câncer no Hospital Mário Gatti e outras unidades públicas de saúde.

O prédio foi inaugurado na terça-feira (18) com a presença do presidente e diretores do Hospital do Câncer de Barretos, o prefeito Jonas Donizette e representantes do Ministério Público do Trabalho. O valor de R$ 33 milhões para a construção do prédio veio de um acordo do MPT com empresas no caso Basf/Shell, relativo à contaminação em Paulínia que afetou trabalhadores e moradores vizinhos da empresa.

Segundo o presidente do Hospital do Câncer, Henrique Prata, o instituto poderá atender 300 mulheres por dia para a realização de exames de mama e colo de útero, além de pequenas cirurgias para o tratamento dessas doenças. Posteriormente, atenderá casos de câncer de pele e de boca.

Além de diminuir as filas para esses exames, Prata afirmou na inauguração do prédio do Instituto de Prevenção que ele vai gerar economia para a saúde pública de toda a região. O tratamento de um câncer de mama ou colo de útero em estágio inicial tem alto índice de cura, custa R$ 10 mil e pode ser feito em um período de seis meses. Um câncer avançado tem tratamentos com custos avaliados em R$ 250 mil, podem durar dois anos e meio, e as chances de cura ficam em torno de 50%.

“Em Barretos, nosso trabalho de prevenção em 18 cidades da região fez com que nos últimos cinco anos não fosse registrado nenhum caso avançado de câncer de mama ou de colo de útero”, afirmou Prata.

Como funciona A unidade de Campinas fica na Avenida das Amoreiras, próximo ao Mário Gatti, e começará a funcionar para o público em cerca de 30 dias. Nesse período, funcionários que trabalharão no atendimento passarão por treinamento no hospital de Barretos.

As pacientes serão encaminhadas por médicos da rede pública para o Instituto de Prevenção. Também há duas carretas que percorrerão os bairros de Campinas realizando exames preventivos. Caso algo seja detectado, a paciente é encaminhada para a unidade para mais exames e, se necessário, cirurgias de baixa complexidade. Isso funcionará como um "hospital dia", onde a mulher é operada e volta no mesmo dia para casa. Todo o tratamento é gratuito. Outras duas carretas serão montadas para o trabalho de exames preventivos e uma outra fará um trabalho educativo com estudantes.

Custos O custo previsto para o funcionamento da instituição é de R$ 500 mil por mês, sendo que R$ 100 mil virão do Ministério da Saúde. Outra parte vem do SUS e o restante deverá vir de um convênio com o município e de doações. “Estamos negociando um convênio do município com o Instituto, que deverá ser definido após esse período de treinamento dos profissionais”, disse o prefeito Jonas Donizette (PSB), que esteve na inauguração. Os cantores Chitãozinho e Xororó também estiveram na cerimônia e farão um show dia 30 de agosto no Via Appia, em Campinas, com recursos destinados para a unidade de saúde. Eles foram os primeiros artistas a apoiarem há 30 anos o Hospital do Câncer de Barretos fazendo shows e campanhas para arrecadação de recursos. Fonte: G1