Ricatto rompe com governo de Dixon e promete tirá-lo do poder

Aristides Ricatto é o 5º secretário a pedir exoneração, em apenas cinco meses da nova administração

No final da manhã de segunda-feira, dia 29, a o quinto secretário a deixar o governo Dixon foi Aristides Ricatto, da Secretaria Municipal de Governo. Segundo ele, sua exoneração aconteceu por discordar dos rumos da administração do prefeito.

Em apenas cinco meses de gestão, este é o quinto secretário que deixa o primeiro escalão de Dixon. Além dos secretários, o vice-prefeito Sandro Caprino (PRP) também rompeu com o prefeito por incompatibilidade política no dia 12 de maio.

O anúncio da exoneração de Ricatto aconteceu em uma coletiva convocada por ele mesmo em seu gabinete no Paço Municipal. Ele afirmou que apoiava Dixon há 11 anos e levou os créditos pela eleição do prefeito na campanha de 2016. Ricatto, além de romper com Dixon, promete à população retirá-lo do poder: “Na política há um ditado que diz assim: ‘Quem põe tem obrigação de tirar’”.

Aristides Ricatto pediu desculpas ao povo de Paulínia. “Pelo mal que cometi a essa cidade, que foi eleger esse cidadão que aí se encontra de prefeito”, declarou. “Foi uma das maiores decepções que já tive em minha vida.” Ricatto reclamou de ter sido deixado de lado a partir do segundo dia da administração Dixon e pela forma como o governo tem conduzido as licitações públicas e contratos emergenciais, como os do lixo e da merenda escolar.

Quem já saiu

Além de Ricatto, já deixaram o governo Dixon os secretários municipais George Burlandy, da Saúde; Rubens Ewald Filho, da Cultura; Elisete Quadros, de Negócios Jurídicos; e Valmir Ferreira da Silva, de Finanças e Administração.

Para as quatro cadeiras acima Dixon nomeou, respectivamente, Cláudio Miranda, Janaína Padovani, Luciano Carrer e Silvio César Vieira Andrade. No lugar de Janaína, na Secretaria de Planejamento, colocou Vlamilson Vieira.

Nota da Prefeitura

Por meio de nota da assessoria de imprensa, Dixon disse que “tem plena convicção da legalidade de todos os seus atos cometidos desde o início de seu governo”. O prefeito também lamentou “as opiniões de cunho pessoal transmitidas pelo ex-secretário Aristides Ricatto”.

Na mesma nota, Dixon revelou que o secretário de Assistência Social e Cidadania de Paulínia, Carlos Alberto Cavallaro, assumiu interinamente a vaga de Ricatto. Ele vai acumular as duas secretarias. O anúncio foi feito pela Prefeitura no início da noite de segunda-feira (29).

© 2020 Jornal de Paulínia